MICHELINY VERUNSCHK

 

Micheliny Verunschk, poeta e historiadora, nasceu em Recife (PE), em 1971. Publicou os livros de poesia Geografia Íntima do Deserto e O Observador e o Nada, ambos de 2003.

Micheliny Verunschk, poeta e historiadora, nasceu em Recife (PE), em 1971. Publicou os livros de poesia Geografia Íntima do Deserto e O Observador e o Nada, ambos de 2003.

HISTÓRIA

 

 

Desenterrar os mortos 

e chupar seus ossos, 

sugar seu mosto 

de terra e sangue seco, 

seu gosto secreto 

de anos infindáveis, 

seus arcos, 

costelas, 

arquitetura.  

 

(…)

 

Se infeccionar com os mortos. 

Triturar seus artelhos 

De esponja ressequida, 

Pintar de negro e noite 

Os dentes e a saliva 

E abandonar o sonho

Viva. 

Muito viva.

 

 

 

O MURO

 

 

 

No muro de pedra 

A pedra 

O lodo 

A hera. 

O muro, 

Um ovo que se quebra 

Um touro na arena 

Um livro contra a tarde. 

O muro, 

A face sob a face.

 

 

 

ADÃO

 

 

 

Rompa-se a casca 

Rija 

Metálica 

Do saxofone: 

Dança de quasares 

Nudez de estrelas. 

Brota, homem.

 

 

 

 

RETIRANTE

 

Poeira, 

Vaga melodia 

De outros pés 

E a impressão, 

O dia inteiro, 

De haver levado 

Um tiro. 

Essa lua crescente 

Sangrando pela testa 

E os olhos, 

Arames ferindo a paisagem.

 

 

 

CONTO DE FADAS

 

 

 

Um deus estranho 

Criou moscas de vidro.

Elas pousam apenas

Sobre pessoas 

E com as patas

Rasgam imperceptivelmente

A pele 

Depositando centenas de ovos 

Que se espalham pela corrente sanguínea. 

A morte é um espetáculo à parte: 

Uma explosão de estilhaços 

Voando em direção de outros corpos.

 

 

##########

Extraído de: http://www.revistazunai.com/poemas/micheliny_verunschk.htm

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: