ABILIO MACHADO

“Eu sou um cara que ama incondicionalmente”

Pouco de mim

(Poeta ha, Abilio Machado. 160808)

 

Passou-me o tempo
Nas linhas dos dias
Eu era assim meio solto
Levado, correndo nu …
Pelado!
Agora estou mais velho
Conciso de que vivi
Pleno de que minha caneta
É e sempre foi…
Por mim!
Nas palavras que escrevo
Nos sentimentos que não escondo
Choro fácil
Gargalho sem me importar com o barulho que faço
Uso as roupas que me vêm à veneta
Não dou muito valor ao valor
O materialismo fede
Pelas concessões que se deve fazer para possuir e ter
Hoje… Eu vivo…
Talvez mais saboroso
Pelas batalhas que travei
Talvez meio vinagre
Pelas dores que herdei
Sou uma pessoa diferente
Não me prendo a uma identidade
O concreto é minha pertença
Não ouço a hipocrisia
Pois a tanto me basta eu
Me apaixono pelas letras 
Bailarinas que surgem ao dedilhar estas teclas
Amigas que respondem de pronto
ao toque de minhas mãos!
Seja quando falo de mim:
Dos meus sonhos
De minha satisfação de ter família
Amigos e de quem me gosta…
Seja quando falo dos desejos:
Amar a todos incondicionalmente
Ao irritante inimigo
Ou ao corrupto e ladrão…
O que me importa que não me castro
Eu me manifesto
E coloco os valores corretos ao meu coração!

##########

Origem: http://recantodasletras.uol.com.br/autores/akikopoetha

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: