Daily Archives: novembro 12th, 2008

FLORA FIGUEIREDO [Reverência]

Reverência Flora Figueiredo   Se não fosse você, eu andaria  a caminho do nada,  pra lugar nenhum.  Eu erraria por entre vagas abertas,  sobre páginas incertas  de um pobre verso comum.  Se não fosse você, Anúncios

AUGUSTO DOS ANJOS [A Meretriz]

A Meretriz Augusto dos Anjos     A rua dos destinos desgraçados  Faz medo. O Vício estruge. Ouvem-se os brados  Da danação carnal… Lúbrica, à lua,  Na sodomia das mais negras bodas  Desarticula-se, em coréas doudas,  Uma mulher completamente nua!  É a meretriz que, de cabelos ruivos,  Bramando, ébria e lasciva, hórridos uivos  Na mesma […]

OSCAR NIEMEYER (de Antonio Miranda)

OSCAR NIEMEYER Poema de Antonio Miranda   Museu da República Foto: ROBSON CORRÊA DE ARAÚJO  Oscar Niemeyer poeta-escultor.   Arquiteto do Rei.   Linhas no espaço sideral, curvas no infinito das constelações virtuais.   Criando avarandados coloniais rampas cósmicas.   Ateu e

ENSAIO: Oralidade, Memória e a mediação do outro

ORALIDADE, MEMÓRIA E A MEDIAÇÃO DO OUTRO: PRÁTICAS DE LETRAMENTO ENTRE SUJEITOS COM BAIXOS NÍVEIS DE ESCOLARIZAÇÃO – O CASO DO CORDEL (1930-1950)* Ana Maria de Oliveira Galvão**       RESUMO: O artigo propõe-se a discutir quais as especificidades da relação que sujeitos vinculados, em sua origem, a uma cultura em que a oralidade […]

JOSÉ PACHECO

A chegada de Lampião no inferno José Pacheco José Pacheco – (Correntes, PE, ?-Maceió, AL, 1954) José Pacheco trabalhou em feiras vendendo os seus folhetos e gêneros alimentícios. A aventura, a coragem, o mistério, a crítica social, as “pelejas”, estão presentes nas suas composições (como, de resto, nas de muitos poetas populares). Já dá para […]

MANOEL CAMILO DOS SANTOS

  Viagem a “São Saruê” Manoel Camilo dos Santos Doutor mestre pensamento Me disse um dia: – você Camilo, vá visitar O país “São Saruê” Pois é o lugar melhor Que

OTACÍLIO BATISTA

  Otacílio Batista – (São José do Egito, PE, 1923) – No poema “Cantadores do Nordeste”, em que Manuel Bandeira diz ter sido “juiz numa função/ De violeiros do Nordeste/ Cantando em competição”, há, nos versos finais, a seguinte alusão a Otacílio Batista: “Saí dali convencido/ Que não sou poeta não,/ Que poeta é quem […]

PATATIVA DO ASSARÉ

Cante lá que eu Canto cá Patativa do Assaré         Poeta, cantô da rua, Que na cidade nasceu, Cante a cidade que é sua, Que eu canto o sertão que é meu. Se aí você teve estudo, Aqui, Deus me ensinou tudo, Sem de livro precisá Por favô, não mêxa aqui, Que […]

ZÉ DA LUZ

Brasí Cabôco Zé da Luz     O qui é Brasí Cabôco?   É um Brasí deferente Do Brasí das capitá. É um Brasí brasilêro, Sem mistura de istrangêro, Um Brasí nacioná! É o Brasí qui não veste Liforme de gazimira, Camisa de peito duro, Cum butuadura de ouro Brasí Cabôco só veste, Camisa grossa […]