NOVOS POETAS: [Hesaú Rômulo – São Luis]

Lágrimas de Plutão

© Hesaú Rômulo

São Luis – MA

Estamos sozinhos, perdidos

Renegados, indignos, minúsculos

De todo o regime econômico

Ou social. Amargos, Plutão e eu

 

Estamos vagando, andando

Na solidão do universo

E todos os outros universos

Que ainda virão. Plutão e eu

 

Estamos à beira de algo

Do lago, me enxergo, num todo

Por partes, Descartes previu

Pariu dois. Plutão e eu

 

Estamos na imensidão de idéias

E os sonhos que virão a existir

E o oxigênio já não é necessário

Vivemos da poesia. Plutão e eu

 

Estamos felizes, loucos e felizes

As pessoas não são essenciais

Tampouco seus psicólogos e petshops

Reinventamos o homem.  Plutão e eu

 

Já não estamos sós, um novo

Homem nasceu, que respeita

Que preserva, que compartilha

Compartilhamos todos. Plutão e eu

 

Estamos vivos, não mais perdidos

Conscientes, do papel de expoente

Regentes desse novo mundo

Em que (agora) fazemos parte. Plutão e eu

Comente

Required fields are marked *
*
*

%d blogueiros gostam disto: