Daily Archives: novembro 26th, 2008

CECÍLIA MEIRELES

Os dias felizes Cecília Meireles “Nasci aqui mesmo no Rio de Janeiro, três meses depois da morte de meu pai, e perdi minha mãe antes dos três anos. Essas e outras mortes ocorridas na família acarretaram muitos contratempos materiais, mas, ao mesmo tempo, me deram, desde pequenina, uma tal intimidade com a Morte que docemente […]

NOVOS POETAS – azuir filho [Campinas-SP]

ZUMBI DA REVOLUÇÃO Por Azuir Filho em na memória do povo, ressurge, é Libertador. Pra inaugurar um tempo novo, de hegemonia do Trabalhador. Vem com ternura e dureza, vem para a decisão. Zumbi de toda beleza, Zumbi da Revolução.  Vem nos anseios do Negro, vem trazer unidade. Vai acabar com o medo, trás luz para […]

NOVOS POETAS – Dú Karmona [São Paulo-SP]

Surpreenda-me! Dú Karmona   Pegue o atalho Ou qualquer desvio… Mas que lhe traga! Chegue sem avisar… E traga seu encanto… Desperto de tantas magias… Que mate essa sensação de perda E abrande nossos medos Surpreenda-me com atitudes Aquela tão contida Que parece ser ilusão Mas a maior do seu coração… Conte-me seu maior desejo […]

NOVOS POETAS – EdimoGinot [Curitiba-PR]

Sono Dos Justos por EdimoGinot quisera eu  ter o sono dos justos  sem culpas, sem sustos  dormir e sonhar  quisera eu  engrenar esperanças  e como as crianças  aprender a andar  quisera eu  voltar no tempo e espaço  esquecer meu cansaço  e aprender a amar  quisera eu  não ser mais poeta  andar numa reta  e não […]

NOVOS POETAS – Maria… [Blumenau – SC]

O Grito Que Na Garganta Secou Maria… A face vê a lágrima rolar  quando a alma precisa exprimir  o que as palavras  não conseguem expressar. Desce mansa, quente, quieta, calada,  ou destrambelhada, em profusão. Dizendo da tristeza que sente,  ou da alegria que fere,  as entranhas do coração… A lágrima que rola faz cicatrizes,  mapas […]

NOVOS POETAS – Juscelino Mendes [Campinas-SP]

Imaginário – Uma Mulher   © Juscelino Mendes     Uma mulher me sorri com doce expressão na face como se me amasse no seu doce afagar e rir Olho-a ali como quem mira um pássaro, que busca no regaço seu ninho construir. O seu interior é sólido feito aço; discreta, movimenta-se com delicadeza e […]