Monthly Archives: dezembro 2008

CRÔNICAS – Nosso Cotidiano Urbano – João Saldanha

Trazemos hoje para o “blog” três crônicas de João Saldanha, extraídas do livro “MEUS AMIGOS”, da Nova Mitavaí Editora e Livraria Ltda., Rio de Janeiro, 1987.

CRÔNICAS – Nosso Cotidiano Urbano

Manhã de um Domingo Dezembrino por Tonicato Miranda Curitiba, 7/12/2008.   Um sol radiante se faz presente nesta manhã de domingo de um dezembro que se inicia promissor. Pelo menos no clima. Veja que falo de sol radiante e não sol causticante. Daqueles bons para bebês, velhos e doentes que carregam doenças menos aparentes. Pois […]

MALLARMÉ – BRINDE

Prólogo por Tonicato Miranda

Trazemos hoje para o “blog” um poema de Mallarmé, em francês, com ensaios da tradução em inglês e português. A primeira tradução em inglês foi realizada por C. F. MacIntyre; Bekerley e Los Angeles – University of California Press, 1957. A segunda, ainda para o inglês, foi realizada por Keith Bosley, 1979. E a tradução para nossa língua foi realizada por Augusto de Campos. O poema e as três versões foram extraídos do livro de Ana Cristina Cesar – Escritos da Inglaterra, da Editora Brasiliense, 1983.

POETAS DO ARAGUAIA

Hoje, trazemos do livro POETAS DO ARAGUAIA, com Prefácio de Carlos Rodrigues Bandão, publicado pelo CEDI – Centro Ecumênico de Documentação e Informação, Rio de Janeiro, 1983, quatro belíssimos poemas de Paulo Gabriel, morador de São Félix do Araguaia – MT, que entre outras auto-definições, nos diz “…Já andei nesta terra por uma porção de lugares // Do Rio de Janeiro eu guardo a alegria de viver // exposta na luz, na pele, na água // Foi em Minas, porém, que aprendi a interpretar o silêncio das coisas, o olhar emocionado // e o coração dos homens. // Ainda tenho saudade do eterno que em Minas se escondeu”.

POETAS DO MARANHÃO – João Batista do Lago

  CONCERTO PARA SAUDADES   © DE João Batista do Lago Que harmonia de sons é esta Que ressoa da minha carne Se da carne minha Foram tirados Pedaços da alma? A fúnebre alegria de mim Ser-me da eterna possibilidade Um movimento do real Na irrealidade da presença Onde não-ser é todo o Ser… Na […]

POETAS DO PARANÁ – Manoel de Andrade

Um homem no cais Manoel de Andrade   Que saldo trago da vida?! da existência escassa e vadia que vivi?! que emoções puderam transfigurar meu coração de marinheiro e desviar meus passos do caminho do cais?! eu, que tornei meu corpo ambulante a vagar de porto em porto em busca de um navio! em busca […]

POETAS DAS ALAGOAS – José Alberto Costa

Silêncio José Alberto Costa     Na quietude outonal do meu claustro interior o silêncio ecoa no mármore secular de colunas imaginárias, enchendo minh’alma de doçura infinita, trazendo a paz sempre aguardada . Ando sob a luz do sol, sem perturbar o sublime momento reflexão/ternura. Palavras ditas com o coração também ecoam no meu silêncio […]

CRÔNICAS: Comunicação e Neurociência

Comunicação e neurociência Jamil Salloum Jr.   A Neurociência moderna já avançou muito no entendimento dessa espantosa máquina que é o cérebro. O que foi até o momento comprovado é a ação eletroquímica através de circuitarias cerebrais, responsáveis pelas mais diversas funções, como a fala, os sentimentos, as necessidades etc. O cérebro humano opera de […]

ARTIGO: A Melhor Retrospectiva

A melhor retrospectiva                                                                   Jamil Salloum Jr.   Nessa época as televisões iniciam a transmissão de várias retrospectivas dos acontecimentos “mais importantes” do ano: […]

CRÔNICAS DO COTIDIANO URBANO

Linguagem por Rubem Braga extraída do livro “Crônicas da Guerra na Itália” – Record, 2ª Edição, 1986. 15 de fevereiro, 1945. Quando os nossos soldados voltaram ao Brasil, as famílias vão estranhar muito a linguagem deles. Já nos quartéis do Brasil, eles incorporaram à linguagem diária uma porção de gíria militar. __ Esse capitão gosta […]

ANA CRISTINA CESAR A Poeta Intimista

Poeta e ensaísta Ana Cristina César CRONOLOGIA 1952 – Ana Cristina Cruz Cesar nasce em 2 de Junho, filha de Waldo Aranha Lenz Cesar e Maria Luiza Cesar. 1958-1959 – Primeiras poesias publicadas. No Suplemento Literário da Tribuna da Imprensa (Rio, 14-15 de Novembro de 1959) é apresentada ao mundo literário por Lúcia Benedetti. 1971 […]

Artilheiros da Infantaria – por Rubem Braga

“(…) Por acaso, chego para visitar os homens no dia em que registram (eu ia escrever “comemoram”, mas na verdade não houve comemoração de espécie alguma) o milésimo tiro disparado por aquela peça contra os nazistas. Isso aconteceu pela manhã; no momento de minha visita, à tardinha, a conta já estava em 1.066. O chefe […]

CRÔNICAS – Nosso cotidiano urbano

Cabeçalho de uma coluna por Tonicato Miranda * * * “Cabeçalho de uma Coluna” poderia ser este o título da coluna para a qual fui convidado a escrever diariamente para este sensacional “blog” que vai ficando conhecido em todo o mundo como “BICHOS DO BRASIL”. Uma coluna de Crônicas, este gênero literário tão desvalorizado em […]

POETAS DO PARANÁ – Aninha Caligiuri

Partículas de Sonhos Aninha Caligiuri   Houve um tempo em que tudo era inconsciência. Depois transformadas foram as partículas de sonhos. E encontrei-me junto a fabuloso vendaval que viajava para as Imensidades. Deparei com mundos novíssimos lá, na Claridade das Estrelas. Senti as transformações que operaram-se no meu ser. Vida?!… Ó Vida, como a amo!… Seres?!… Ó […]

MANOEL DE BARROS

O urubuzeiro Manoel de Barros   Meu amigo Sebastião estourou a infância dele e mais  duas pernas  No mergulho contra uma pedra na Cacimba da Saúde.  Quarenta anos mais tarde Sebastião remava uma canoa  no rio Paraguaio  E deu o barranco de uma charqueada.  Sebastião subiu o barranco se arrastando como um  caranguejo trôpego  Até […]