ANA CRISTINA CESAR

Olho muito tempo o corpo de um poema   Ana Cristina Cesar Olho muito tempo o corpo de um poema até perder de vista o que não seja corpo e sentir separado dentre os dentes um filete de sangue nas gengivas   Ana Cristina Cesar (1952-1983)